Tag: romance

Amor é prosa

Dormir de conchinha

Eu não gostava de dormir de conchinha. Achava incômodo, não conseguia encontrar uma posição em que o braço do meu companheiro não desafiasse o meu conforto e, no dia seguinte, sempre acordava com torcicolo! Era BATATA! Considerava a tal conchinha uma afronta à qualidade do meu sono, e uma baita hipocrisia dessa sociedade que cultua um romantismo desmedido e opressor.

Amor é prosa

Feliz dia dos namorados

Há quem diga que hoje é um dia comercial, dia de falsidade, dia de elevar pensamentos de benquerença para quem é amante ou corno, enfim. Dentro do meu discreto romantismo e do meu exacerbado humor, sigo achando que hoje é dia de usar e abusar do textão, da foto brega, da telemensagem, do balão de coração, dos buquês de flores, das caixas de bombom, até porque há quem se lembre que tem um bem querer apenas em datas especiais, e a vida é tão curta que devemos aproveitá-la, inclusive para amar.

Amor é prosa

Inteiras metades

“Namorar é ter em uma pessoa só, seu melhor amigo, seu amante, sua paquera, o arrepio no beijo, as borboletas no estômago num simples olhar. É ter um porto seguro. É saber que um abraço reconfortante te espera após um dia péssimo. É ter surpresa no meio do dia. É fazer por alguém o que você faria por si mesmo, ou ainda mais.”

Amor é prosa

Foi você

O mais incrível de tudo isso é que em nenhuma dessas mudanças você me pediu ou impôs alguma coisa. Você subverteu aquele papo de mudança e me mostrou que a compreensão também muda, que a aceitação também conscientiza da mudança. Você confirmou minha teoria utópica de que se pode construir amor com respeito à individualidade. E quando você me deixou ser eu, eu fui cada vez mais você em minhas novas qualidades.

Amor é prosa

12 de junho é só um dia, para quem só vive ele

A maneira como a construção de um relacionamento é abordada hoje dá a impressão de que os cupidos seguram fuzis em vez de flechas. Qualquer tentativa de ‘soar agradável fora de época’ é automaticamente identificada como uma forma de compensar um erro ainda não descoberto pela outra pessoa da relação. Talvez por isso tantos casais sigam roteiros programados por toda a vida útil de seus romances.

Amor é prosa

Carta aberta ao meu namorado

Você diz que nós não somos mais namorados. Também não somos casados. Somos noivos, e moramos juntos. Então, não tem Dia dos Namorados, não tem presente. Mas as suas camisetas da Chico Rei estão a caminho. Claro, não é um presente romântico – você mesmo diz que não somos mais namorados! – mas é um presente necessário.